Terminei meu livro. Quero publicar. Como devo mandar o livro para as editoras? E para quem?

A não ser que você tenha uma agente literária, a alternativa é fazer várias cópias e mandar para as editoras que se enquadrem no perfil da sua obra. Vá em uma boa livraria e passe algum tempo anotando nomes e endereços de editoras que estejam publicando livros no mesmo estilo do seu.

Na primeira vez em que mandei um livro inédito para uma editora fiz capa colorida, mandei por DHL, tentei desenvolver uma espécie de relacionamento pessoal e só perdi tempo e joguei dinheiro fora. Eles preferem se manter no anonimato para justamente fugir às cobranças de autores que, como eu, ficamos até 8 meses sem ter qualquer resposta das editoras. Algumas ainda se dão ao trabalho de mandar uma cartinha acusando o recebimento do original. Outras simplesmente ignoram.

Acho interessante visitar os sites das editoras nas quais você está interessado. Procure informações sobre o formato correto para mandar seu texto. Com freqüência as exigências variam de editora para editora. Algumas não querem receber o livro inteiro. Preferem que você mande, por exemplo, as 20 primeiras páginas, as 10 últimas e um resumo de uma página. Outras preferem o livro completo. Por estas (e outras) faça um contato rápido por e-mail ou telefone e tire todas as dúvidas.

Já quanto à questão de “para quem”, é um problema: até hoje não consegui descobrir uma das grandes editoras que revele o nome de alguém para quem mandar originais. Eles não querem ser incomodados. Não vou mentir: o processo de seleção é arcaico, atrasado, bitolado e absolutamente injusto. O que existe é a mais absoluta falta de consideração pelos autores no Brasil. Prevalece indicação e favoritismo. Nepotismo grassa livremente. Obras primas ficam relegadas ao fundo de gavetas e ao latão de lixo. Ter seu primeiro livro publicado por uma grande editora, de cara, até pode acontecer, mas envolve também muita sorte.